Todo apoio e solidariedade à greve da Fundação Casa

Na última quarta-feira, 9/12, os trabalhadores e trabalhadoras do Sistema Socioeducativo de São Paulo iniciaram uma greve por direitos e salários. Entre as pautas de reivindicações estão o plano de carreira, aumento do plano de saúde, renovação da convenção coletiva entre outros. Trata-se de uma categoria essencial, que mesmo durante a pandemia continuou fazendo seu trabalho, expondo-se ao risco do contágio pela Covid-19.

Reproduzimos a carta aberta à população feita pela categoria.

CARTA ABERTA À POPULAÇÃO, IMPRENSA E POLÍTICOS

SISTEMA SOCIOEDUCATIVO DE SÃO PAULO DIZ BASTA AOS ATAQUES DA FUNDAÇÃO CASA E DO GOVERNADOR JOÃO DORIA

A assembleia do sistema socioeducativo que aconteceu no sábado 05 de dezembro ratificou a GREVE da categoria a partir de 09 de dezembro.

A categoria está cansada de tanto descaso e precarização nos locais de trabalho. A Fundação negou diversas reivindicações essenciais da categoria, alastrou o processo de negociação do dissídio durante meses e de forma arrogante tentou calar nossas justas demandas “concedendo” o que já temos.

Entre as pautas rejeitadas pela Fundação CASA estão:
Escala de Revezamento setorial; índice de reajuste econômico; índice inflacionário; redução da carga de trabalho sem redução de salários do setor pedagógico; retomada do Plano de Carreira, Cargos e Salários; a garantia de folgas das horas geradas pela escala dos servidores que laboram a escala 2×2.

O sentimento de revolta da categoria é potencializado pela crise sanitária que o mundo enfrenta, a COVID-19 mata e parece que o governador e a Executiva da Fundação CASA estão pouco se importando com nossas vidas.

Desde o início da pandemia, o sistema socioeducativo de São Paulo vem sofrendo com a doença e com as más decisões das autoridades. Aproximadamente 2.000 trabalhadores e trabalhadoras com COVID, vários em estado grave na UTI e já registramos 6 óbitos.

A Fundação CASA insistiu na volta ao trabalho do grupo de risco, a Fundação não fornece EPI de qualidade, a Fundação não realiza testagem periódica em funcionários e adolescentes. A Fundação fecha unidades, a Fundação extingue o grupo de apoio, a Fundação transfere a conta da crise para as costas dos servidores e servidoras do sistema socioeducativo.

Nossa segurança e saúde não podem continuar sendo negligenciadas.

O aumento abusivo do Convênio Médico piorou a situação econômica de todos os trabalhadores que não tiveram reajuste nos seus salários e ainda enfrentamos o possível novo aumento do convênio em 2021, pois o índice de sinistralidade que a Fundação CASA impôs aos seus trabalhadores ultrapassou e muito neste momento de PANDEMIA.

Somos trabalhadores essenciais, portanto, precisamos de segurança no nosso ambiente de trabalho e não de precarização do sistema socioeducativo. Quem está sucateando e menosprezando a vida dos servidores do sistema socioeducativo é o Governador João Doria e a Fundação CASA.
Os trabalhadores e as famílias dos adolescentes não merecem esse desprezo.

– NÃO AO DESMONTE DO GRUPO DE APOIO
– NÃO À INSEGURANÇA DE TRABALHAR COM EFETIVO REDUZIDO E COM TODOS OS ADOLESCENTES EM ATIVIDADE SIMULTANEAMENTE
– NÃO À DESORGANIZAÇÃO DA FUNDAÇÃO CASA EM MANTER ATIVIDADES NORMAIS SEM EFETIVO
– NÃO AO AUMENTO DO CONVÊNIO MÉDICO
– NÃO AO AUMENTO DO PLANO ODONTOLÓGICO.

VAMOS FAZER ESSA LUTA JUNTOS!
AGORA É GREVE!
POR NOSSAS VIDAS E POR VALORIZAÇÃO ESTAMOS NA LUTA!

CARTA ABERTA À POPULAÇÃO, IMPRENSA E POLÍTICOS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s