Pela base: profissionais da Educação municipal organizam ato contra o retorno às aulas presenciais

Na semana que o Estado de São Paulo passou de 900 mil infectados e mais de 32 mil mortes pela Covid-19, o prefeito da capital paulista, Bruno Covas (PSDB), anunciou na tarde de 17/9, a liberação de aulas presenciais nas universidades e a reabertura das escolas para atividades extracurriculares a partir de 7 de Outubro, com previsão de retorno da rede municipal para 03/11.

Quando se iniciou a abertura do comércio e flexibilização da quarentena, profissionais da Educação iniciaram um movimento pela base para lutar contra o retorno das aulas presenciais na pandemia. Diante do fato de que as escolas públicas não possuem recursos físicos e humanos para garantir um retorno seguro para profissionais da educação, estudantes e familiares, o retorno em 2020, com ainda altos índices de contágio e mortes, colocará em risco milhares de vidas, como revela os mais de 600 profissionais contaminados no Amazonas após a reabertura precipitada das escolas.

Sem o auxílio dos sindicatos (sobretudo o Sinpeem, maior sindicato da rede municipal de educação), que não organizam a categoria para enfrentar os ataques do governo, um setor de profissionais da educação está buscando construir pelas suas próprias forças organismos de debate com a comunidade escolar. Sua organização e mobilização têm como um dos objetivos pressionar as direções (inclusive as Oposições) a chamarem uma assembleia da categoria para aprovar a Greve Pela Vida.

Um dos organismos criados pela base foi o Comitê de Base de Representantes de Escolas. Desde Junho, o Comitê, que conta com a participação de educadores/as e a comunidade escolar, têm feito reuniões regulares para organizar a luta. Fruto da iniciativa dessa importante vanguarda foi possível, inclusive, construir sem recursos e aparato, no dia 05/9, uma Plenária Online da Educação (que contou com mais de 170 participantes e já teve quase 4000 mil visualizações no Facebook).

Diante da vitória dessa construção coletiva, os trabalhadores e trabalhadoras saíram fortalecidos para continuar firmes em seus objetivos de enfrentar o governo na luta contra o retorno das aulas presenciais. Por isso, como encaminhamento da última reunião feita pelo Comitê, no dia 12/9, dando sequência as atividades de mobilização, está sendo convocado um ato em defesa da vida para dia 23/9. O protesto será uma carreata e uma ação social de doação de sangue ao Hospital das Clínicas.

Nós do GOI saudamos estes lutadores e lutadoras, que dão um grande exemplo de mobilização pela base para toda a classe trabalhadora, e convidamos nossos leitores/as e seguidores/as a se somar no ato. Se as direções do movimento nada fazem para organizar a luta contra os governos e patrões, façamos então nós por nós!

Reproduzimos abaixo o convite feito pelo Comitê:

https://www.facebook.com/events/733165070601420/

“Dia 23/09 vamos à luta!!

Em defesa da vida e contra a reabertura das escolas em meio à pandemia. Carreata e doação de sangue!!

A carreata sairá às 10h30 da Avenida Iraí com Avenida Rubem Berta em direção ao Hospital das Clínicas (próximo à Rebouças).

Faça seu agendamento da doação de sangue no site: https://prosangue.hubglobe.com/

Preencha o formulário de participação no ato e na carreata no link: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSduPRritjxkaKYTi6ghxzMZG36UMtC4WFM0ZK4XQd21oxlUeQ/viewform?vc=0&c=0&w=1&flr=0&gxids=7628

Ato/doação de sangue no HC: às 12h.

Nós por nós!!”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s