#ResisteUP: Carreata e buzinaço contra as demissões na Universidade Positivo

O Grupo Cruzeiro do Sul, um dos tubarões do ensino privado no Brasil, que assumiu recentemente a administração da Universidade Positivo em Curitiba/PR, demitiu 277 professores e professoras, fechou diversos cursos e pretende manter algumas aulas direto da filial em São Paulo, aplicando na prática o sucateamento do ensino superior com o EAD.

A carreata e buzinaço que ocorreu na tarde do dia 25/7 na capital paranaense é o segundo ato e protesto organizado por estudantes e profissionais da educação contra as demissões. Segundo informações obtidas no ato pelo Palavra Operária, as demissões podem chegar a mais de 400. A Cruzeiro do Sul se recusa a divulgar informações mais detalhadas sobre as demissões e a negociar com a comunidade acadêmica.

No final de junho, a instituição já havia demitido profissionais docentes que faziam parte do quadro de funcionários de São Paulo. Estudantes chegaram a se manifestar e protestar nas redes contra a medida. Segundo eles, as mensalidades de seus cursos não haviam sido reduzidas durante a quarentena sob alegação de que a instituição pretendia, assim, manter os empregos. Algo semelhante ocorreu na Universidade Positivo.

A Cruzeiro do Sul aplica a mesma cartilha de outras instituições privadas de ensino, como a Uninove, que no inicio de Julho demitiu por meio de aviso na plataforma online de aulas mais de 200 profissionais docentes. A desumanidade dos capitalistas, que seguem lucrando rios de dinheiro com a retirada de direitos da classe trabalhadora em tempos de pandemia, ganha proporções absurdas e de barbárie. Criam uma narrativa de “redução de custos” diante da crise sanitária e econômica para justificar os ataques sobre nossos direitos e descarregar nos ombros da nossa classe sua incompetência.

25 de Julho está sendo marcado por diversas lutas da classe trabalhadora, que se coloca em movimento contra as demissões na pandemia, precarização do trabalho, retirada de direitos, redução de salários e privatização dos serviços públicos. O dia começou com uma nova greve geral dos entregadores/as de aplicativos, ato contra a terceirização do Hospital Campo Limpo na periferia de São Paulo, a greve dos metalúrgicos da Renault de São José dos Pinhais contra 747 demissões entrando em seu 4° dia e aqui na Universidade Positivo a luta dos estudantes e profissionais da educação contra as demissões e o sucateamento do ensino superior.

As direções das centrais sindicais e movimentos da classe trabalhadora precisam unificar estas lutas em curso para fortalecer a resistência das categorias e ampliar a unidade em defesa dos empregos, salários e direitos num grande movimento nacional.

Manifestamos nossa solidariedade aos estudantes e profissionais da educação da Universidade Positivo. Não às demissões!

Veja abaixo fotos feitas por militantes do GOI durante o ato:

2 comentários em “#ResisteUP: Carreata e buzinaço contra as demissões na Universidade Positivo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s