Trabalhador@s da Amazon dão exemplo de resistência e luta!

Reproduzimos abaixo a tradução feita pelo GOI, na íntegra, da declaração d@s trabalhador@s da Amazon diante da pandemia de Coronavírus e suas reivindicações pela segurança de seus empregos e suas vidas.

A Amazon é uma empresa transnacional de tecnologia, com foco em produtos eletrônicos, cujo dono é Jeff Bezos, simplesmente um dos capitalistas com maior acumulação de riquezas produzidos por trabalhadores no planeta!

O texto escrito pelos trabalhadores da Amazon vai de encontro com as propostas apresentadas pelos GOI para que os trabalhadores se organizem e lutem por um plano alternativo e combativo diante da pandemia e da crise capitalista. A declaração deles denuncia a situação a que estamos submetidos pelos capitalistas e seus governos que, diante da pandemia e da crise capitalista, nos mantém trabalhando em locais aglomerados e sem as mínimas condições de prevenção e higiene afim de manter seus lucros.

Nos solidarizamos com os trabalhadores da Amazon e, desde o Brasil, impulsionamos seu exemplo de luta e resistência contra a ganância dos patrões e seus governos, que nada fazem pela segurança da maioria da população.

“Trabalhadores da Amazon no Mundo (Amazon Workers Internacional): Declaração Comum.

Enquanto a pandemia de Corona já matou milhares de pessoas e matará muito mais, os armazéns da Amazon continuam operando 24 horas por dia, 7 dias por semana. Os governos de todo o mundo ordenam o distanciamento social, mas ao mesmo tempo obrigam os trabalhadores a continuar trabalhando. Os pacotes da Amazon fluem por cidades que, devido à alta disseminação do vírus, foram isoladas do resto do mundo. Em países onde o público é proibido de se aglomerar, a Amazon pode operar como um “estado dentro do estado”, livre para nos colocar em risco e nos explorar, enquanto continuamos a trabalhar aos milhares em espaços fechados.

Motoristas de caminhão e transportadores terceirizados – as veias da nossa economia global – movem o vírus entre os armazéns. Sacolas incontáveis entre as mãos e instalações dos trabalhadores. De fato, a Amazon obriga os trabalhadores a se arriscarem a se infectar e a levar o vírus para casa em nossas famílias, permitindo sua disseminação.

Essa crise afetou fortemente todos os trabalhadores (não apenas nós na Amazon). Alguns trabalhadores, como enfermeiros ou trabalhadores de supermercados, nem recebem equipamento de proteção adequado! Os estados de emergência supostamente destinados a conter a pandemia também são uma tentativa de criminalizar até os pequenos protestos e piquetes. Essas políticas fornecem ao governo as ferramentas para silenciar os trabalhadores, que vêem que as políticas irresponsáveis ​​da Amazon estão facilitando a propagação do vírus. Mas, mesmo a Amazon nos obrigando a continuar trabalhando em estreita proximidade, em um ritmo cada vez maior de trabalho e muitas vezes sem proteção à saúde, na semana passada milhares de pessoas se organizaram em protesto.

Protestamos contra a tentativa da empresa de lucrar com essa crise, colocando em risco nossa saúde. Protestamos na Polônia e na Espanha, entramos em greve na Itália, na França e em Nova York. Mostramos que é possível em todos os lugares lutar por nossa saúde e nossas vidas e que não vamos parar. A Amazon também deve saber que um aumento salarial, diferente de um país para outro, como se nossas vidas tivessem preços diferentes de acordo com sua nacionalidade, não será suficiente para comprar nossa saúde e segurança.

Nós, trabalhadores da Amazon de todo o mundo, não permaneceremos em silêncio enquanto a ganância de nossos chefes e a covardia do governo colocar em perigo todos nós. Chamamos os trabalhadores de todos os lugares a permanecerem seguros e praticarem o distanciamento social, mas, ao mesmo tempo, a se organizarem, protestarem e estarem preparados para lutar!

Nós exigimos:

  1. O fechamento imediato dos armazéns da Amazon até que seja declarado o fim desta pandemia de coronavírus pela Organização Mundial da Saúde. Durante esse desligamento, a Amazon deve pagar a todos os trabalhadores seu salário integral.
  2. Que a Amazon doe 20 bilhões de dólares para os sistemas públicos de saúde de países onde ela opera.
  3. Até que a Amazon feche seus armazéns, a empresa deve conceder licença médica paga a todos os trabalhadores doentes, em quarentena, que precisam cuidar de seus entes queridos ou que precisam cuidar de crianças devido ao fechamento das escolas.
  4. Até que a Amazon feche seus armazéns, os trabalhadores da Amazon devem receber pagamentos por risco.
  5. Até que a Amazon feche seus armazéns, não deve haver reduções ou demissões relacionadas a Metas ou Folgas, para que os trabalhadores possam priorizar a sua segurança sobre a produtividade nessas condições perigosas no local de trabalho.
  6. Até a Amazon fechar seus armazéns, a empresa deve reduzir o tempo de trabalho em seus armazéns, sem reduzir os salários. Os trabalhadores precisam de mais folga remunerada para nos permitir satisfazer nossas necessidades básicas e lidar com o impacto do Corona em nossas vidas.

22 de Março de 2020, Amazon Workers International.

Publicado originalmente no site: https://amworkers.wordpress.com/2020/03/24/amazon-workers-international-common-statement/

Um comentário em “Trabalhador@s da Amazon dão exemplo de resistência e luta!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s