Contra a condenação de Lula pela Justiça burguesa! Pelo direito dos trabalhadores votarem nele para presidente!

O GOI manifesta sua posição diante da possível condenação de Lula em julgamento de segunda instância que pode ou não confirmar a sentença do juiz Sérgio Moro, de 9 anos e 6 meses de prisão.

Contra a condenação de Lula pela farsa da Lava Jato

Como já analisamos anteriormente (vide artigos em nosso blog) consideramos a Operação Lava Jato uma grande farsa jurídica e política que busca dar uma saída à crise da democracia burguesa forjando um suposto combate à corrupção. Esta manobra, levada a cabo pelo juiz Moro e seus asseclas do Ministério Público, visa “mudar alguma coisa para que tudo continue igual”: os bandidos políticos e empresários que fizeram “delações premiadas” continuam ricos e “cumprindo pena” no conforto dos seus lares, a começar pelo grande chefe, Marcelo Odebrecht, “preso” em sua mansão de 3 mil metros quadrados.

A burguesia vem utilizando a Lava Jato com dois objetivos políticos: primeiro, para desviar a atenção da classe trabalhadora dos seus maiores inimigos: a burguesia nacional e imperialista que vem impondo uma poderosa ofensiva contra nossos empregos, salários, direitos e condições de trabalho e de vida; segundo, para dar fim aos governos do PT com setores da burguesia, como fez nas mobilizações da “classe média” pequeno burguesa que levaram ao impeachment de Dilma, e agora para evitar a volta de Lula e do PT ao poder.

Para atingir seus objetivos o juiz Moro e Cia. usam métodos autoritários (prisões coercitivas, condenações com base em delações premiadas, supressão do habeas corpus, etc) que atentam contra os direitos democráticos e devem ser repudiados por todos os setores socialistas e democráticos da sociedade.

Felizmente, uma parcela crescente da classe trabalhadora vem tomando consciência de toda esta farsa.

Por tudo isso, aceitar a condenação de Lula por estes mecanismos e manobras da burguesia e sua “Justiça” é na prática concordar ou ser conivente com eles.

Defender Lula contra a Justiça burguesa não é lhe passar um atestado de inocência

Ser contra a condenação de Lula pela Justiça burguesa para nada significa defender a sua inocência diante dos crimes de corrupção de que é acusado. Sabemos que a corrupção é parte primordial das relações capitalistas, e uma das principais armas usadas pelos patrões para corromper os dirigentes políticos e sindicais da classe trabalhadora. Estamos vendo neste momento a traição à luta contra as reformas de Temer feita pela burocracia da CUT, Força Sindical, CTB, etc, para negociar o imposto sindical. Sabemos que a democracia burguesa, os cargos, altos salários e privilégios dos parlamentos e dos governos executivos, corromperam Lula, o PT e outros dirigentes e partidos operários e “socialistas”. E que sua convivência com as altas esferas do poder político e econômico da burguesia nacional e imperialista gerou relações e dependências não apenas políticas, mas também financeiras.

As mesmas relações corruptas de Lula com a burguesia que o beneficiaram no período em que governou junto com ela são agora utilizadas pelas frações dominantes da própria burguesia contra ele para evitar que governe novamente o país.

Contudo, a tarefa estratégica de expulsar os dirigentes corruptos do movimento operário e popular deve ser executada pela própria classe trabalhadora e não por paladinos burgueses do tipo de Moro e Bolsonaro, que usam o discurso anticorrupção para iludir a pequena burguesia e a classe trabalhadora, preparando o caminho para saídas autoritárias e fascistas.

Defendemos um Tribunal Operário e Popular para julgar Lula ou qualquer dirigente do movimento dos trabalhadores acusado de corrupção. Obviamente, este tribunal só pode existir no regime revolucionário pelo qual lutamos.  

Nossa posição se baseia num critério de classe

Apesar de seus vínculos corruptos com a burguesia e de suas traições às lutas dos trabalhadores, Lula e o PT seguem sendo parte do movimento operário e popular, mais do que isso, seguem sendo sua direção majoritária, sindical e política. Hoje, apesar da experiência de 13 anos de governos do PT com a burguesia, milhões de trabalhadores e trabalhadoras ainda confiam em Lula para voltar a governar o país, pois acreditam que ele vai defender suas condições de vida e de trabalho contra a ofensiva burguesa/imperialista acentuada pelo governo Temer, pelo PSDB e demais partidos burgueses através das reformas trabalhista e da previdência e os cortes nos serviços e programas sociais públicos.

Sabemos que as massas trabalhadoras estão enganadas, pois seguem esperando que sua situação melhore através das eleições burguesas, de pequenas reformas, sem rupturas revolucionárias. Por isso seguem sendo arrastadas para a política nefasta de conciliação com a burguesia e o imperialismo, que caracterizou os governos de Lula e Dilma e segue sendo aplicada por Lula e o PT.

É devido a este atraso em sua experiência histórica e em sua consciência política que as massas trabalhadoras seguem sendo “exploradas politicamente” por Lula, pelo PT e seus aliados. Os setores mais conscientes da classe trabalhadora ainda seguem mantendo em Lula aquela “confiança inconsciente” caracterizada por Lênin em suas Teses de Abril, nas quais recomendou a política de “explicar pacientemente” para os trabalhadores e trabalhadoras os erros e traições dos partidos e dirigentes operários conciliadores. E, aprendendo com o principal dirigente da Revolução Russa de 1917, entendemos ser necessário que os revolucionários sigam “explicando pacientemente” aos trabalhadores e trabalhadoras os erros e traições de Lula e do PT até que se convençam, por sua própria experiência, que devem romper com estes falsos dirigentes e apoiar uma politica revolucionária e socialista, a única saída que pode de fato avançar na solução dos problemas nacionais e na melhoria das condições de vida da nossa classe.

O futuro político de Lula deve ser decidido pela classe trabalhadora

e não pela Justiça burguesa corrupta

O fato de que hoje milhões de trabalhadores e trabalhadoras estão contra a condenação de Lula e querem elegê-lo presidente da República é suficiente para nós nos posicionarmos, sem vacilação, contra sua condenação e prisão pela Justiça burguesa. Defendemos o direito destes milhões de trabalhadoras e trabalhadores de votar em Lula. Estamos contra todas as manobras da burguesia, como a Operação Lava Jato, que querem tirar este direito da classe trabalhadora.

Estamos junto à nossa classe para ajudá-la em sua evolução em direção à consciência de classe. Queremos que a classe trabalhadora, a partir de sua própria experiência, tome consciência de que sua situação não vai melhorar através das eleições burguesas, nem enquanto seguirem confiando em dirigentes conciliadores como Lula.

Seguimos exigindo de Lula e do PT que rompam sua colaboração de classes com o imperialismo e os patrões e suas alianças e pactos políticos com o PMDB de Sarney, Renan Calheiros, Eunício Oliveira e todos os partidos e políticos burgueses e formem uma frente operária, popular, juvenil, camponesa e dos setores oprimidos, para lutar por um Governo de Trabalhadores, sem patrões. Seguimos exigindo de Lula que se coloque à frente de um chamado para a derrubada do governo Temer imediatamente, antes que este governo e o congresso nacional retirem todos os nossos direitos!

Nota do GOI – 21/1/2018

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s