Licitação Fake em Taboão para manter o monopólio da Fervima/Pirajuçara. Basta! Vamos à luta!

O Diário de Transportes de 16/5/2020, publicou a matéria: “Taboão da Serra anuncia a licitação do transporte”. No mês de julho vence a concessão municipal das linhas ao monopólio da Fervima/Pirajuçara e a Prefeitura e a Câmara de Vereadores já anunciaram sua pretensão de renovar a concessão, sem exigir nenhuma contrapartida da empresa para melhorar e ampliar a frota de ônibus, nem exigir a melhoria das condições de trabalho d@s motoristas e cobrador@s, inclusive a recontratação dest@s últim@s.

Na matéria acima citada há informações sobre o número de veículos e número de passageiros que circulam, que nos dão uma ideia da fortuna que fatura esta empresa, Fervima/Pirajuçara, às custas d@s trabalhador@s de Taboão da Serra e Região.

A tarifa, reajustada em janeiro deste ano em 13,15%, está entre as mais caras do mundo por km², R$4,30 num município que tem pouco mais de 20 km². E não há integração, o que significa que um simples e curto trajeto de ida e volta bairro-centro custa absurdos R$ 8,60!  Essa verdadeira mina de ouro alimenta um dos maiores impérios que mandam e desmandam na política local: financiam campanhas eleitorais milionárias de prefeitos e vereador@s, elegem seus candidat@s, que asseguram a concessão das linhas para esta empresa que detém o monopólio dos transportes coletivos da região, há décadas.

São ônibus que circulam completamente lotados, inclusive agora durante a pandemia do Coronavírus. Álcool em gel, máscaras descartáveis para passageir@s, nem pensar. A empresa reduziu o número de veículos para mantê-los lotados, aumentando o risco de contágio, sobretudo para @s profissionais motoristas e @s pouc@s cobrador@s.  Importante destacar que Taboão da Serra é uma região com muitas fábricas e grandes empresas, consideradas essenciais, que não liberaram trabalhadoras e trabalhadores para o home office e seguem trabalhando normalmente na quarentena. São elas Cinpal, Sercom, Total Química, Interfile, Assaí, RodRaf, Kaçula, Repume, Spaw, entre outras.

As viagens são inseguras, sobretudo para idosos, que nas linhas circulares têm que embarcar e desembarcar pelas portas traseiras, longe dos olhos d@s motoristas. A prefeitura não garante a carteirinha para idosos com 60 anos ou mais, e o cartão de idos@s da EMTU não passa na catraca das linhas circulares. A insegurança para mulheres com crianças no colo é idêntica, grávidas com a gestação adiantada que não podem passar nas catracas, bem como pessoas que transportam sacolas. O embarque e desembarque de passageir@s portador@s de deficiência física é completamente inseguro: motorista que abandona a direção para garantir o embarque de cadeirantes, elevadores das cadeiras que emperram, cintos de segurança que não seguram… são parte dos transtornos e constrangimentos enfrentados nas viagens por profissionais, cadeirantes, acompanhantes e demais passageir@s.

Não há ar condicionado na esmagadora maioria dos carros, tornando insuportáveis as viagens no verão. Janelas emperradas que não abrem. Carros velhos que sempre apresentam defeitos, atrasos e riscos nas viagens. A empresa não assegura o desembarque e embarque fora dos pontos após às 22 horas, como manda a lei, contribuindo para o aumento da violência às mulheres, obrigadas a viajar e percorrer trajetos inseguros.  As goteiras quando chove e a sujeira nos ônibus são uma constante na vida daquelas e daqueles que são obrigad@s a se locomover pelas linhas da Viação Fervima/Pirajuçara, sem nenhum conforto, pagando esta tarifa abusiva.

@s motoristas e pouc@s cobrador@s são sobrecaregad@s de trabalho arriscado e estressante.  As linhas municipais (e parte das intermunicipais) não têm cobrador@s. Motoristas fazem a dupla função, que é tripla, quádrupla: dirigir (boa parte do trajeto é dentro da BR 116), cobrar as tarifas, dar troco, controlar a roleta, entrada e saída d@s passageiros, dar informações, garantir a segurança d@s passageir@s, segurança dos veículos e del@s própri@s. Os relatos de abusos e assédio da empresa contra condutor@s é total: sendo responsabilizad@s e cobrad@s por qualquer dano nos veículos, multas, assaltos.

As linhas intermunicipais da Viação Fervima/Pirajuçara, além dos mesmos problemas das linhas municipais, têm um agravante:  a recente redução do trajeto, com inauguração do metrô São Paulo/Morumbi, não garantiu a respectiva redução da tarifa. O trajeto foi reduzido e a tarifa aumentou. Se antes custava sair do São Judas/ Taboão até o Metrô Conceição o valor de R$6,70, agora, com a supressão da linha, convertida em São Judas Taboão/Metrô São Paulo Morumbi, para chegar no Metrô Conceição serão gastos no mínimo R$9,95 (5,65+4,30). São pelo menos R$2,25 a mais por passagem, totalizando R$4,50 ida e volta. Muitas trabalhadoras e trabalhadores omitem os gastos com passagens, pagando do bolso, porque patrões e patroas nem contratam para o trabalho se o gasto com vale transporte for maior que duas passagens diárias. Esta manobra das empresas e governos, que não garantem a integração do transporte, pode custar mais R$135 por mês de transporte, em salários que foram reduzidos pela crise econômica e pandemia do Coronavírus. Foram prejudicados também as trabalhadoras e trabalhadores que desciam no trajeto feito pela linha anterior.

Fiscalização da Prefeitura e da Câmara que fazem a concessão das linhas? Nunca vimos! Se a Viação Fervima/Pirajuçara paga em dia seus impostos municipais? Não sabemos!

Tudo que somos informad@s como munícipes, pagador@s de impostos e passagens, é do aumento das tarifas e da redução do trajeto sem a correspondente redução da tarifa!

Chega! Trabalhadoras e trabalhadores de Taboão e Região, precisamos nos organizar e lutar contra esta situação dos transportes coletivos de caos para trabalhador@s e aumento desenfreado dos lucros para patrões e seus governos. Fazemos um chamado a todas às entidades, sindicatos, movimentos, coletivos e partidos de luta da cidade para barrarmos a licitação fake tramada pelo prefeito e pelos vereadores junto com a Fervima/Pirajuçara.  

Vamos à luta por:

  • R$4,30, R$5,65, R$5,85, R$6,15 é um roubo! Redução imediata e congelamento de todas tarifas!
  • Integração já, entre as linhas municipais, intermunicipais e metrô/trem!
  • Álcool em gel e máscaras descartáveis (para quem não tem) para passageir@s em todos os veículos!
  • Higienização e limpeza do ônibus!
  • Passe livre para desempregad@s e estudantes!
  • Garantia da gratuidade aos idosos, com carteirinha emitida pela  Prefeitura e entrada pela frente!
  • Que a Viação Fervima/Pirajuçara abra suas planilhas de custos para a população!
  • Fim da dupla função d@ motorista. Cobrador@s em todas as linhas!
  • Que @s motoristas e cobrador@s parem de ser punid@s e ter descontados de seus salários os “prejuízos” nos carros, estes devem ser cobertos pelos seguros da empresa.
  • Renovação da frota, já! Que todos os ônibus velhos sejam retirados de circulação!
  • Garantia do desembarque de passageir@s fora dos pontos após 22 horas!
  • Pela estatização/municipalização da Fervima/Pirajuçara! Transporte coletivo público não deve ser fonte de lucro!

Declaração do GOI (Grupo Operário Internacionalista) – 21/6/2020

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s